" É feliz quem a Deus se entrega e orienta seus passos no Senhor! " (sal 1)

Páginas

7 de janeiro de 2011

AMAR OS DIFERENTES

Deus é amor, e quem crê em Jesus crê que Ele é o Filho de Deus. Deus nos ama  mais que tudo nesta vida, e o amor que nossos pais possuem por nós provém do amor de Deus também por nós. Jesus disse que ninguém consegue amar a Deus, que não se vê, se não amar aquele que vê. Veja que coisa engraçada - se amamos nossos irmãos, podemos dizer que o amor de Deus está em nós e que, portanto, podemos amar a Deus de verdade. Agora, se dizemos que amamos a Deus e não amamos nossos amigos (ou inimigos?), mentimos, e o amor de Deus não está em nós.

Explicar isto para uma criança não é nada fácil, até porque nossas palavras muitas vezes não correspondem ao que verdadeiramente fazemos ou somos. É um processo dialético próprio da natureza humana e que São Paulo mesmo já havia detectado: "faço o que não quero e não faço o que quero". O amor ao próximo nos convida diariamente a um desafio de renovarmos a crença de que é possível sim amarmos aqueles que mais não são caros, e nisto está nosso crescimento e nosso amadurecimento na capacidade de amar.

Se amar é um processo constante de transformação da pessoa humana, como rejeitar o desafio de amarmos aqueles que são tão contrários a nós?
Não podemos esquecer que, se somos imagem e semelhança de Deus, é porque Deus é bem diferente de nós! Não pensa como nós e não reage como nós, por isso que precisamos fazer a experiência de amar aqueles que são diferentes de nós pois somente assim poderemos entender como Deus nos ama, sendo nós tão diferentes D'Ele.


De qualquer modo, a criança precisa perceber no lar desde cedo como este movimento ocorre na vida humana, e os pais são são convidados a demonstrar para os pequeninos este processo, por vezes doloroso e até contraditório, de superar os próprios obstáculos pela causa maior - o amor.
Cláuber Santos

0 comentários: