" É feliz quem a Deus se entrega e orienta seus passos no Senhor! " (sal 1)

Páginas

25 de abril de 2011

TEMPO DA MISERICÓRDIA !


Depois de quarenta dias de reflexão sobre o chamado que todos nós, batizados, temos à conversão, depois de talvez aderirmos a este chamado nos colocando num espírito de penitência e purificação, é chegado o tempo tão aguardado por todos: tempo das misericórdias do Senhor. É Páscoa, tempo de vida nova, tudo o que era velho passou!

Ouvimos o badalar dos sinos no sábado de aleluia, voltamos a cantar Glória nas celebrações, acompanhamos a liturgia que profere a Boa Nova da Ressurreição do Senhor Jesus. Os meios de comunicação e o mundo em geral, ainda cegos para o sentido supremo desta festa religiosa, bombardearam-nos com sugestões de como comemorá-la. 
Enfim, de todas as maneiras, autênticas ou não, se foi publicado o dia mais importante da história cristã.

Entretanto, se observarmos a nossa volta, podemos perceber que, ao contrário do que aconteceu com a igreja nascente, dos Atos dos Apóstolos, em nossa vida, tudo parece ter continuado como era. Se na quaresma, o tempo de preparação para a páscoa pareceu-nos tempo comum, em que a rotina sufocou-nos e ao invés de nos levar para Cristo, afastou-nos dele, a Páscoa tem adquirido a mesma mornidão, a mesma insipidez na qual estamos absorvidos. Não temos tempo para Deus, nem para os irmãos, tampouco para nós mesmos, para o nosso corpo e principalmente para a nossa alma... Outras leituras são mais urgentes que a leitura da Palavra de Deus, outros compromissos sobrepõem-se a Santa missa e ao grupo de oração. Pretextos não nos faltam para fugir dos sacramentos e da vida de oração.

É necessário perceber que este tempo litúrgico (e também histórico) que estamos vivendo nestas semanas após a páscoa é o tempo da misericórdia de Deus. É tempo de acordar para o fato de que Cristo está vivo, a morte não pode com Ele. Não importa como você viveu a sua quaresma, como você comemorou a páscoa. “As misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã” (Lam 3, 22-23) e hoje é “o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos” (Sl 117, 24). É esta a hora de voltarmos para o Senhor, de aceitarmos este Deus que deu a vida por nós e vivermos a Graça que é a ele pertencer. 

Edna Souza Machado

0 comentários: